AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DO ALTO DO LUMIAR -Lisboa-

“Aprender é cada vez menos memorizar conhecimentos e cada vez mais preparar-se para os saber encontrar, avaliar e utilizar. A capacidade de atualização passa a ser uma ferramenta essencial para o indivíduo que quer sobreviver numa sociedade de verdades relativas e efémeras. Neste contexto a Biblioteca Escolar é central no processo educativo.”

José Calixto - A Biblioteca Escolar e a Sociedade de Informação, Lisboa: Editorial Caminho, 1996, p.86(Caminho da Educação nº2)

quinta-feira, 19 de outubro de 2017

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

Oficina Musical



Ainda há vagas para a oficina musical Navegar é preciso nas seguintes datas:​
  • ​20 Out sexta-feira às 11h ou 14h30 na Biblioteca de Marvila
  • 26 Out quinta-feira às 11h ou 14h30 na Biblioteca Orlando Ribeiro
  • 27 Out sexta-feira às 14h30 na Biblioteca de Marvila
As inscrições são gratuitas, basta enviar um email para isabel.n.goncalves@cm-lisboa ou contactar para o tel. 21 8172660

terça-feira, 17 de outubro de 2017

MÊS INTERNACIONAL DAS BIBLIOTECAS ESCOLARES



Em Outubro de 2017 o tema eleito para a comemoração do Mês Internacional da Biblioteca Escolar (ISLM) é Conectando Comunidades e Culturas.

designed by Chhavi Jain
A equipa do Mês Internacional da Biblioteca Escolar (ISLM) é um grupo de voluntários cujo entusiasmo pelas bibliotecas escolares levou-os a se juntarem para trabalharem em conjunto, partilhar ideias, culturas e realizar atividades alusivas às comemorações deste mês.

O grupo encontra-se aberto a todos os responsáveis por bibliotecas escolares, independentemente de serem ou não membros da International Association of School Librarianship (IASL), os quais podem colaborar na página web disponível para o efeito – “O que as pessoas estão a fazer para o ISLM” e consultar os projetos anteriores  AQUI


segunda-feira, 16 de outubro de 2017



Dia Mundial da Alimentação

No dia 16 de outubro celebra-se o Dia Mundial da Alimentação


Foi no dia 16 de outubro de 1945 que a Organização das Nações Unidas (aquela organização que reúne todos os países do mundo, para promover a cooperação entre os povos) fundou um grupo especial dedicado à Alimentação e à Agricultura.
Por esse motivo, é essa a data escolhida, desde 1979, para celebrar o Dia Mundial da Alimentação. O objetivo é alertar para a fome e desnutrição que ainda existem em muitas partes do mundo e, em especial, ajudar os países em desenvolvimento (aqueles que são mais pobres) a obter os recursos económicos e técnicos (ou seja, o dinheiro e as máquinas) necessários para conseguirem produzir a sua comida.

As Nossas Escolas também assinalaram a data com a realização de várias atividades alusivas à data.

sexta-feira, 13 de outubro de 2017



O dia 13 de outubro, Dia Internacional para a Redução de Catástrofes, costuma ser assinalado com a realização do exercício público de prevenção do risco sísmico.

A TERRA TREMEU, às 10 horas e 13 minutos no Agrupamento de Escolas do Alto do Lumiar.

A Direção-Geral da Educação, em colaboração com a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares e com a Autoridade Nacional de Proteção Civil, pretendem mobilizar, nesta data, o maior número de escolas para a realização do exercício público A TERRA TREME

A TERRA TREME 
Pretende alertar e sensibilizar a população sobre como agir antes, durante e depois da ocorrência de um sismo.
Os 3 gestos BAIXAR, PROTEGER, AGUARDAR são a melhor resposta para nos protegermos em caso de sismo.


O exercício ajudará os nossos alunos a conhecer e praticar estes 3 gestos que podem salvar vidas!

O nosso agrupamento assinalou a data com o habitual exercício de evacuação. 

Fica o registo da escola EB1 Padre Rocha e Melo. 








Kit Pedagógico Romano Atmo (Alma Cigana)



Romano Atmo, que na língua romanon significa «Alma Cigana», foi um projeto desenvolvido em alguns países europeus e também em Portugal com a duração de 9 meses. Visou a criação de materiais pedagógicos destinados a sensibilizar crianças e jovens, assim como as suas famílias (comunidade cigana em geral), para a necessidade de usufruir de uma escolaridade obrigatória e para a valorização e divulgação da cultura cigana como forma de preservar a identidade e promover uma melhor inclusão, através da compreensão das semelhanças e diferenças da cultura cigana e da cultura maioritária.
Por outro lado, o projeto teve como finalidade promover a informação e sensibilizar os docentes e restante comunidade educativa para a importância da promoção de um diálogo intercultural, através de um melhor conhecimento sobre aspetos da cultura cigana.
Deste projeto resultou um kit pedagógico composto por quatro pilares, acompanhado por um CD interativo:
1 – «Histórias do povo cigano» residente na Europa, que inclui contos tradicionais ciganos, contados por pessoas da comunidade cigana;
2 – Língua «romanon» (com vista a dar a conhecer a língua); 
3 – Dança cigana - valorização, orgulho e reconhecimento. Coreografia de uma "Rumba";
4 – Curiosidades sobre o vestuário, tradição e hábitos alimentares (pratos tradicionais), tarô cigano, comemorações do Dia Nacional do Cigano, entre outras curiosidades.

quinta-feira, 12 de outubro de 2017


Revista de Ciência Elementar

Volume 5, número 3

Capa da Revista de Ciência Elementar

Descarregue gratuitamente a versão eletrónica 

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Resultados das Provas de Aferição

Foram divulgados os resultados das provas de aferição realizadas no ano letivo 2016/2017

Mais de 80% dos alunos do ensino básico derraparam nas provas de aferição. Foram também conhecidas uma série de medidas que o Ministério de Educação pretende implementar/desenvolver.

As provas de aferição são obrigatórias, mas não contam para a nota final dos alunos


Um susto. É esta a leitura que, em síntese, se pode fazer dos resultados das provas de aferição do ensino básico em disciplinas que até agora não tinham sido submetidas a avaliação externa. Ou seja, delas só se sabia quais as notas dadas nas escolas pelos professores.


As provas de aferição são elaboradas centralmente pelo Instituto de Avaliação Educativa (IAVE) e são as mesmas para todos os alunos sujeitos a esta avaliação, cujos resultados ao contrário dos exames não contam para a nota final.



segunda-feira, 9 de outubro de 2017

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

Museu São Roque

Ano Letivo de 2017-2018

3º CICLO DO ENSINO BÁSICO


Desenhar a cidade. Exercícios sobre urbanismo e arquitetura. A atividade parte dos conceitos de arquitetura e de urbanismo que são trabalhados em grupo através de um exercício de desconstrução de palavras. Uma vez discutidos os conceitos, passa-se para a análise do real, questionando a cidade, os bairros, as ruas e os edifícios que nos rodeiam. A dialética entre função e forma assume protagonismo neste debate.
Vamos conhecer o Oriente em São RoqueO núcleo de arte oriental do museu e a viagem de São Francisco Xavier ao Oriente representada num conjunto de vinte telas da sacristia da igreja, servem de mote para trabalhar, através de um jogo de equipa, temas relacionados com a história da expansão portuguesa.
Pelos Sentidos do barrocoO acervo da Igreja e do Museu de São Roque proporciona uma experiência sensorial do barroco. Através de um conjunto de exercícios de perceção do espaço com recurso aos diferentes sentidos, os jovens experimentam sensações que lhes permitem perceber melhor o Barroco. As formas, volumes, cores, brilhos e sons do barroco tornam-se, assim, mais próximos e mais fáceis de compreender.

SECUNDÁRIO E PROFISSIONAL


O Padre António Vieira e o Barroco em São RoqueA Igreja e o Museu de São Roque são testemunhos ímpares do Barroco em Portugal e estão profundamente associados ao Padre António Vieira, figura determinante da cultura europeia barroca que adquire protagonismo nesta visita.
Ser Bibliotecário por um diaO objetivo essencial desta atividade é incentivar os jovens para a descoberta do livro e da leitura. A metodologia de trabalho inclui uma parte expositiva e exercícios práticos, de reflexão em grupo, em que se exploram questões como "A minha experiência na biblioteca", "o que faz um bibliotecário", "a biblioteca do futuro", "a importância da biblioteca na minha vida".
Paiaçu ou Pai Grande. Encenação dos sermões do Padre António Viera na Igreja do São RoquePara alguns autores contemporâneos o Padre António Vieira ("Paiaçú" ou Pai Grande como lhe chamavam os gentios no Brasil de seiscentos) foi um pioneiro e paradigma de interculturalidade. No magnífico enquadramento da Igreja de São Roque, o ator João Grosso acompanhado musicalmente pela voz melódica de Sílvia Filipe encarna esta figura maior da cultura ocidental.
Tempos de Poesia. Poetas em São RoqueProjeto que pretende partilhar a obra literária de autores portugueses e fomentar o gosto pela poesia, dando a conhecer, ao mesmo tempo, a história da Companhia de Jesus e o acervo da Igreja e do Museu de São Roque. Sophia de Melo Breyner, Fernando Pessoa, Luís de Camões e Marquesa de Alorna estarão na igreja e no museu a receber os jovens.
Visitas guiadas temáticas à Igreja e Museu de São RoqueArte portuguesa: Maneirismo e Barroco
Companhia de Jesus: História e Arte
Reforma Protestante e Contra-reforma

2º CICLO DO ENSINO BÁSICO


 Personagens animadas. Histórias transformadas
As personagens das obras de arte do Museu de São Roque adquirem vida e transformam-se em heróis e heroínas de histórias animadas, concebidas pelas crianças. Nesta atividade exploram-se técnicas simples de animação.
Vamos conhecer a Capela de São João BatistaAs crianças são convidadas a imaginar Portugal no século XVIII, época em que foi construída a Capela de São João Batista, uma encomenda de D. João V. A diversidade cromática das pedras que revestem a capela, a exuberância do ouro utilizado para bordar os paramentos, o esplendor das peças de ourivesaria, são elementos únicos que as crianças vão descobrir através de jogos que vão realizar em grupo.
Pelos Sentidos do BarrocoO acervo da Igreja e do Museu de São Roque proporciona uma experiência sensorial do barroco. Através de um conjunto de exercícios de perceção do espaço com recurso aos diferentes sentidos, os jovens experimentam sensações que lhes permitem perceber melhor o Barroco. As formas, volumes, cores, brilhos e sons do barroco tornam-se, assim, mais próximos e mais fáceis de compreender.
A Peste em São Roque As quatro tábuas pintadas da vida e lenda de São Roque transportam as crianças para um universo do final da Idade Média, permitindo introduzir o tema da Peste. Como seria viver nesse tempo e tratar este problema? Hoje em dia existem outras epidemias igualmente devastadoras, como podemos controlá-las?
D. Leonor, a Princesa PerfeitíssimaTeatro de marionetas que conta a história de uma princesa que se tornou rainha e que mostra Portugal na transição do século XV para o século XVI. No final, a rainha convida o grupo a visitar o museu para descobrir o seu retrato. 

1º CICLO DO ENSINO BÁSICO 


Há animais no museu As crianças percorrem o museu à descoberta dos animais que se escondem nas obras de arte. Cada um destes animais tem uma história para contar que serve de base para trabalhar com as crianças temas como a amizade, as estações do ano, as viagens, entre outros.
O que nos dizem as cores? O que é a cor? E a luz? Quais são as cores primárias? E as secundárias? Como se obtêm as diferentes cores? A que sensações associamos cada cor? E a que tipo de sons? Existem cores mais e menos importantes? Quentes e frias? Alegres e tristes? Estas são algumas questões a explorar nesta atividade que parte do acervo de pintura do museu e da sua paleta multicolor. 
Letras habitadasNo Arquivo Histórico da SCML existem muitas letras habitadas. São as capitulares dos livros. As crianças irão fazer uma viagem no tempo para conhecer a evolução da escrita e dos materiais de escrita e vão habitar a letra inicial do seu nome com objetos, figuras, pessoas e animais que os caracterizem ou lhes sejam particularmente caros.
Personagens animadas. Histórias transformadas As personagens das obras de arte do Museu de São Roque adquirem vida e transformam-se em heróis e heroínas de histórias animadas, concebidas pelas crianças. Nesta atividade exploram-se técnicas simples de animação.
Vamos conhecer a Capela de São João Batista As crianças são convidadas a imaginar Portugal no século XVIII, época em que foi construída a Capela de São João Batista, uma encomenda de D. João V. A diversidade cromática das pedras que revestem a capela, a exuberância do ouro utilizado para bordar os paramentos, o esplendor das peças de ourivesaria, são elementos únicos que as crianças vão descobrir através de jogos que vão realizar em grupo.
D. Leonor, a Princesa PerfeitíssimaTeatro de marionetas que conta a história de uma princesa que se tornou rainha e que mostra Portugal na transição do século XV para o século XVI. No final, a rainha convida o grupo a visitar o museu para descobrir o seu retrato.
A brincar construímos o passadoAtividade que pretende dar a conhecer de uma forma participativa e divertida a Capela de São João Batista da Igreja de São Roque e as suas coleções de ourivesaria e têxteis que se encontram expostas no museu. As crianças terão oportunidade de construir peças inspiradas nesta coleção utilizando materiais recicláveis.

PRÉ-ESCOLAR


Há animais no museu As crianças percorrem o museu à descoberta dos animais que se escondem nas obras de arte. Cada um destes animais tem uma história para contar que serve de base para trabalhar com as crianças temas como a amizade, as estações do ano, as viagens, entre outros.
Uma história coloridaUm teatro de sombras, uma história com muitas cores e as obras de arte do museu servem de mote para trabalhar a cor: como se obtêm as cores secundárias a partir das cores primárias, que sensações associamos a cada cor.
Perlimpimpim, os livros são assimA Perlimpimpim, a boneca Pipoca e o palhaço Totó levam na sua mala de viagens histórias, contos, poesias, canções e lengalengas que partilham com as crianças, com recurso a experiências sensoriais e atividades de expressão musical, dramática e corporal. Esta atividade pode ser feita na escola.
D. Leonor, a Princesa PerfeitíssimaTeatro de marionetas que conta a história de uma princesa que se tornou rainha e que mostra Portugal na transição do século XV para o século XVI. No final, a rainha convida o grupo a visitar o museu para descobrir o seu retrato



quinta-feira, 5 de outubro de 2017



A proclamação da República é feita das varandas da Câmara Municipal de Lisboa na manhã do dia 5 de Outubro de 1910. Trata-se do resultado de um longo processo, iniciado ainda no século XIX, que foi criando na população, especialmente em algumas elites, a vontade de mudar o regime.

Os confrontos que envolvem civis e militares, de um lado e do outro, a partir do dia 3 de Outubro, dão a vitória ao partido republicano.


Logo no dia 5 o rei e a família abandonam Portugal embarcando na Ericeira a caminho do exílio.



D. Manuel II (1889-1932) sai do país, com a família, através da Ericeira, em Outubro de 1910. Primeiro refugia-se em Gibraltar e finalmente o soberano inglês acolhe-o no Reino Unido, onde o ex-monarca português passará o resto da sua vida.

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

ESCOLA MÁGICA

O site Escola Mágica para o 1.º Ciclo  disponibiliza recursos multimédia para estimular a aprendizagem de forma divertida e multidisciplinar. É um projeto de ensino interativo, que permite explorar os conteúdos programáticos do 1º Ciclo. 

Em simultâneo, os professores têm à sua disposição variadíssimos recursos, fichas de trabalho, organizados de acordo com as distintas áreas curriculares e muitos concursos.


Registe-se e aceda a milhares de conteúdos gratuitos!

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

"O livro é para usar e abusar."

Afinal como é que as crianças devem usar os livros? 


Jorge Ascenção, Manuel Pereira, Filinto Lima e Paulo Guinote responderam a várias questões sobre leitura e o que está à sua volta. 

Ora veja... com som!



LER+ aqui.

http://www.educare.pt/